terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

PARCERIAS - COM NINA ARAÚJO

ENCORPADO
Me apaixono
quando o mal é deposto,
e pelo bem disposto
pelo bem composto
pelo sem desgosto
por ares de bom gosto
pelo que é bem suposto
pelo que é bem transposto
pela honradez do rosto
pelo desapego ao posto
pelo que não é encosto
pelos mares de agosto
pelo bom entreposto
pelo doce mosto e,
pelo sexo oposto.

Me apaixono
Quando o bem é chegado
Pelo abraço bem dado;
Pelo beijo molhado
Se tem sabor mentolado...
Por um amor mais delicado
Mas um macho arretado
Com jeitinho de tarado
Sendo um homem educado...
Me apaixono pelo apaixonado
Pela voz do bem letrado
E não pode falar errado
Não precisa ser Saramago
Mas que seja afeiçoado
Em me amar bem amado!


Nina Araújo & Vania Viana
Rio de Janeiro - Maceió
17.02.09

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

PARCERIAS - COM ANA BARRETO

OLHARES
De Ana Barreto & VaniaViana

Um olhar penetrou em minh’alma
Entrou certinho pelos meus ouvidos
Num tom, num gesto, numa palavra calma...
E me tomou todos os meus sentidos!

Um olhar devastou-me o coração
Fez festa em mim, louco, desinibido
Foi um olhar que desafiou-me a razão
E fez fluir o meu querer contido!

Dois olhares presos feito anzóis
Sequer pudemos nos desviar de nós
Laçados no ímã, aprisionados no amor...

São olhares luminosos como dois faróis
Brincam a tristeza de um passado atróz
Revolvem alegrias e esquecem a dor...

Natal/Maceió
16.02.09

TROVAS DE VANIA

UM OLHAR
De VaniaViana
Um olhar penetrou em minh’alma
Entrou certinho pelos meus ouvidos
Foi um tom, um gesto, uma palavra calma....
Que me tomou todos os meus sentidos!
Maceió
16.02.09

SÉRIE PENSAMENTOS

02 - De VaniaViana

O coração tem enigmas e labirintos insondáveis...
Quem terá a chave?
Um nosso fantasma inconsciente, talvez!
E o que ele sente nunca será a minha verdade,
apenas o meu desejo,
que se dilui ao ser revelado o enigma.

Maceió
16.02.09

SÉRIE DIÁLOGOS POÉTICOS


02 - De VaniaViana com Telma Moreira

- O coração é terra que qualquer um pode entrar!
- O coração tem as coisas de cada um...ninguém entra...Você falou o contrário!
- São dois ângulos diferentes: visto por fora e visto por dentro: se eu vejo o coração por dentro e, se eu estiver carente, deixo qualquer um entrar; eu, carente de amor, qualquer forma de amor preencherá.
- E eu vejo pelo lado de fora...
- Mas... Se eu vejo o coração do Outro e, eu pelo lado de fora... Como poderei entrar?


Maceió/Rio de Janeiro

15.02.09

FANTASIA FINAL

FANTASIA FINAL
De VaniaViana
Posso te ver tão perto! De mim estás apenas e só a um passo...
Me estico e contorço, anelo teu beijo, meu desejo é ter teu abraço! Contudo não vens, e agora não sei como agir, já não sei o que faço...
Tenho um rosto em minha retina, mas não te vejo, aqui não te acho!
E espero que a luz dos meus olhos não me cegue, não me engane de fato...
Pois sei da inocente fantasia, do desejo sentido que, no entanto, fez ato!
E na claridade do dia, final de desejo, amargura ocupando o espaço...
Devolvo o carinho ao dono, dissolvo a fantasia, tornei-me um palhaço!
Maceió
16.02.09

domingo, 15 de fevereiro de 2009



















ABANDONO
De LuízaCaetano - Portugal
ENTRE BEIJOS E BEIJOS
O MEL ENTORNANDO
NAS FENDAS DO SONO
EM FEBRE!
EM FOGO!
ME ESQUEÇO!
ME AFOGO!
SUBITAMENTE AMORTALHADA
NESTE DOCE ABANDONO.

LuziaCaetano
Portugal
ALMAS GÊMEAS

De: LuízaCaetano
Portugal

VÔO DE VOLTA AO SONHO
De VaniaViana

Hoje posso dizer que sou alma leve, livre
Que posso voar até as paisagens de Lisboa
Hoje digo que vivo como um anjo vive
Pairando nos ares, feliz, chegando em Poa.

Em cada instante em meu calmo silêncio
Sem pressa de chegar e, quase chegando,
Viajo nas asas de um vento mais propício
Pois hoje sei o que estarei encontrando...

Estarei nos montes, no tempo frio, vadio
Olharei a lua brilhante e o céu reluzente
Procurarei algo que sei, me faria contente...

Buscarei o amor, a paz, abandonarei meu vazio
Encontrarei meu bem, bem tarde no coração...
Encontrarei você que me dará colo e paixão!

Maceió - 17.12.2008

ENQUANTO DORMES - SONETO em VÍDEO De VaniaViana

video

sábado, 14 de fevereiro de 2009

SÉRIE PENSAMENTOS

De VaniaViana
- 01
Enquanto criamos sonhos, enquanto produzimos nossas fantasias pueris ...
Enquanto nos enveredamos em deliciosos desejos, vamos escrevendo planos, vamos fazendo versos, e nos enganamos da vida por um tempo...

Pois que é do engano a pura verdade...
Pois que vem do engano a dura certeza!

Maceió
14.02.09


NOVO RUMO
De
VaniaVianna

Fica mais um pouco amor, desse jeito,
Fica aí, amado, por enquanto assim...
Enquanto afasto o medo que há em mim
E vejo que é lugar para nós dois perfeito!

Porque é aí que agora te escondes da vida
É onde agasalhas nossos sonhos à noite
Onde o calor rola e o vento faz açoite
Fazendo-nos desejar a carícia querida!

É desse teu porto de mato e de poeira
Que virás um dia deitar em minha beira
Errando o rumo da tua antiga moradia...

E virás para mim, será o caminho certeiro
Serão meus abraços, afinal o teu paradeiro
Será o lugar que sempre sonhaste um dia!

Maceió
13.02.09

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

SÉRIE DIÁLOGOS POÉTICOS



AO TERMINAR MAIS UM DIA,
O SOL QUASE SUMINDO,
VOTO OS OLHOS PARA OS CÉUS
E VEJO SEU PODER...
ELE VEM FESTEJAR COMIGO.
A ALEGRIA VEM SURGINDO,
O DESCANSO CHEGAR NO SÁBADO,
NO ENTARDECER!

01 - De Lisa Köe e VaniaViana

- Mais de um mês e estás assim...
que bela, você! Um ano a mais
e estás assim... [quase sex]!
- Mais jovem, [de espírito]
exalando a beleza [da essência do Pai]
- [Que tem a beleza] de muitas orquídeas...
[Dele é] o segredo, [Dele é] o mistério
[e o perfume] das muitas rosas!
- [Foi Ele quem me presenteou..
e me deixou] impregnada do aroma
dos lírios do vale!
- Parabéns bem atrasada...
- [não, não estás]
Mas[é] de todo [o meu] coração...
- [Sei que estiveste aqui comigo!]
- Te desejo MAZAL TOV!
E, hoje à noite ao fazer um LECHAIM,
no jantar de SHABAT, [sábado]
o farei um especial pra você,
- [e eu acenderei as sete velas do candelabro]
pra que tenhas muitas SIMCHAS [Alegrias]
e NACHAS, [felicidades sem medidas]
e todas as BRACHOT [bênçãos]de HASHEM![Eterno]
Tudo que está no coração do PAI pra ti,
- [e deverá estar em nossos corações],
- que seja realizado...
Pedir que teus desejos sejam realizados
é limitado, pois os desejos Dele
para nós são ilimitados,
e já existem numa esfera celestial,
basta nos apropriarmos,
lançarmos mão do que já é nosso!
- [e eu lanço mão das mesmas bênçãos...
Que de fato e de direito cheguem a ti,
do Pai, que te ama como eu!]

-SHABAT SHALON!

-[Feliz sábado]

SÃO PAULO/MACEIÓ
03.02.09

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

LIBERO VOCÊ!
VaniaViana

Entrei em sua sala
E vi seu corpo esguio.
Vi seu rosto a mirar a tela,
E vi seu olhar a fugir do meu.
Tentei passar diante dele
E mexer numa mecha de cabelos;
Falei em seus ouvidos...
... aspirei seu cheiro.
Toquei em suas mãos...
Mas você nem me sentiu!
Voei tão alto, assim como a ave
Voa perto do sol e, à noite,
Ela chega perto das estrelas
Que brilham e nos encantam.
Mas você nem me viu, não me sentiu!
Eu senti você e o seu descaso,
Quando tentei deixar em suas narinas
O meu perfume e meu sorriso aberto.
Isso me fez ver que basta! Chega!
Que é melhor viver um sonho
Do que viver sonhando...
Que é melhor a colheita de grãos
Do que plantar sementes
que não germinam!
Tudo é um começo,
E nada é estático, não permanece...
Que é melhor sentir um abraço
Do que abraçar uma miragem!
Que é melhor sentir um beijo
Do que a embriaguez de uma espera,
Da boca que me evita!
Que é melhor abrir o meu coração
Do que fechá-lo, disposto à vã ciência...
Que é melhor ver quem já me viu
Do que ver quem não me enxerga.

E, por isso, retiro a minha energia de você
Libero você das minhas fantasias, do meu toque...
Libero você dos meus poros, do meu sorriso,
Dos meus ternos sonhos, do meu perfume
De tudo que ofereci a você gratuitamente
E vou de vez! Parto pra outro sonho
E sonharei com quem me viu,
Porque não me desfaço de mim...
Estás livre e me liberto
Pra sonhar outra vez!
Maceió - 2008

♣ ♣ ♣ PARCERIAS

PASSARINHO AZUL
De Lisa Köe & Vania Viana

És meu pássaro azul!
Que voa mansamente do sul ao norte

Aquele que surge no dia preciso
Que prenuncia a vida, não a morte
Que voa livre e solto de dia

Colorindo meu céu que era cinza...
E faz meu ar mais fresco ainda!

Vens trazendo nas asas o sol
E o seu brilho até o entardecer

E na expansão da sua luz...
Gira qual girassol no alvorecer!
Transformas meu viver desgrenhado
No ordeiro ciclo das marés.
Fazes do meu mundo cimentado

Um canteiro florido de flores;
És esperança nos dias mais frios
Neles tu pintas todas as cores
Alegremente escuto teus pios...
Pássaro azul do vôo encantado!


Maceió-São Paulo -12.02.09

MONTAGEM DE LISA KÖE


SÉRIE DIÁLOGOS POÉTICOS

02 - UMA RESPOSTA

... Para a minha amiga
Lisa Köe

... É que ando assim, meio azulada,
fazendo versos, apaixonada!
querendo ter o que já tenho
ou não tendo e penso ter...
É que ando assim: enluarada,
querendo ver o que já vi
...mesmo assim não vejo...
relendo os versos antigos
revendo os antigos desejos
que afloram novos em botões
com a chuva da madrugada...
Assim fujo da tristeza
vou me enganando
porque a vida vai caminhado
às vezes pra lugar algum,
e eu quero um lugar
que me deite a paz
e que lá encontre alguma luz...
Dou-te a metade
(que de ti sinto saudade)
pra iluminar tuas veredas...
Enquanto estamos aqui
Vamos fazendo versos...
nos enganando...
que é do engano
a pura verdade
a dura certeza!

Vania Viana - Maceió – 12.02.09

NÓS
De Amaro Vaz

Porque me deste uma oportunidade
De me envolver em teu sentir tão perto.
De ser um oásis neste teu deserto
Colher meus sonhos em tua realidade.

Por emprestar-me a solidariedade
Pelo teu jeito simples, tão discreto
Visão profunda de um gostar concreto
Pelo teu jeito humano, tua verdade...

Porque falamos de coisas que amamos
Coisas da vida, coisas que sonhamos
Coisas que dão ao mundo outros valores.

Porque ousamos inocentar quereres
Nós dois nos descobrimos novos seres
Pintando a nossa noite com outras cores.

Macaé - 24.01.2009

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009


APARIÇÃO AMOROSA
De: Carlos Drumond de Andrade

Doce fantasma, porque me visitas?
Como em outros tempos nossos corpos se visitavam?
Tua transparência roça-me a pele,
convida a fazermos carícias impraticáveis:
ninguém, nunca um beijo recebeu de rosto consumido.
Mas insistes, doçura. Ouço-te a voz
Mesma voz, mesmo timbre,
Mesmas leves sílabas,
E aquele mesmo longo arquejo
Em que te esvaías de prazer,
E nosso final descanso de camurça.

Então, convido,
Ouço teu nome, única parte de ti que não se dissolve
E continua existindo, puro som.
Aperto... O quê? A massa de ar em que te converteste
E beijo, beijo intensamente o nada.

Amado ser destituído, por que voltas
E és tão irreal assim, tão ilusório?
Já nem imagino mais se és sombra
Ou sombra sempre foste, e nossa história
Invenção de livro soletrado
Sob pestanas sonolentas.
Terei um dia conhecido
Teu vero corpo como hoje o sei
De enlaçar o vapor como se enlaça
Uma idéia platônica no espaço?

O desejo perdura em ti que já não és
Querida ausente, a perseguir-me suave?
Nunca pensei que os mortos
O mesmo ardol tivesse de outros dias
E no-lo transmitissem com chupados
de fogo aceso e gelo matizados.

TUA VISITA ARDENTE ME CONSOLA
TUA VISITA ARDENTE ME DESOLA
TUA VISITA, APENAS UMA ESMOLA
NÃO CHORES, MEU BEM!
De Vania Viana


Numa melodia que eu não entendo
Escuto o som e curto nela a sua foto
E eu sequer te conheço, isso é fato
Mas acabo contigo me envolvendo!

É uma agonia que dói dentro d'alma
Em palavras que nem mesmo imagino,
Mas sei que sentes... E eu, estou sentindo
Nela vejo a tua pureza e a tua calma!

Se a escutares, veja, eu a escuto também...
Sei que ela fala do que conheço: uma dor!
Pois a voz que canta, não ouvi em ninguém
Expressar em canção o seu dissabor...

Do que se trata? Se souberes o que é, diz!
Diz que não é sofrer, a dor que ela canta!
Porque assim eu também choro infeliz!
E sofro sentindo a dor que a ti encanta!


Maceió – 30.09.2007



REVER BELZONTE

( Saudade da amiga Ivanete)

Vou rever os Belos Horizontes
Das Minas Gerais, os seus montes
Que de tão azuis parecem mar!
Onde sopra a brisa fresca...
Vou tomar, bem quenthim, café na caneca
Com um "cadim" de pão de queijo,
Às tardinhas, bem antes do bocejo,
Com minha amiga Ivanete.
Coisa boa a gente repete...
Ai! Que mulher hospitaleira!
Se não fosse o nevoeiro,
Abria os olhos na madrugada
Pra ver das aves a revoada


Sentadinha na varanda,

Lá no Alto do Espinheiro
Na janela de segurança máxima!
Volto logo a qualquer hora
O tempo passa sem demora

Mas vou rever vossa senhoria ...
Quem sabe, fico por lá um dia!
Vou ser feliz, como sou agora,
Mas um dia vou-me embora...


VaniaVianna – Maceió - Julho - 2006

ATRÁS DA CAUDA
De VaniaViana

Em dado momento digo pra mim: Basta!
Não vou querer mais pensar nesse assunto...
Nem vou mais desejar você aqui bem junto.
E esse pensamento bobo, logo se afasta!

Outra vez estou aqui, outra vez paralisada...
Brigando na fantasia das impossibilidades.
Envolvida na completa e total infelicidade
Diante de uma história quase tresloucada!


Que fantasia mais maluca, mais desvairada,
Que me faz dar voltas, rodando feito cão...
Buscando na própria cauda o objeto de ficção!


Pergunto-me por que deixei a paz, o nirvana?
Por que voltei pra dor de uma velha paixão?
E vivo apenas um sonho, uma grande ilusão!


Maceió
20.09.2007
DESPERTAR SEM MISTÉRIO!
De VaniaViana

Despertar a cada manhã
Quando já chegou o dia...
É um privilégio
É ter na noite um sortilégio!
Mas despertar bem de mansinho,
Ouvindo o canto dos passarinhos,
É ser poeta, é ser cantor,
É ser rainha, ser princesa...
É ser criança, menininha,
Ter aos pés a natureza!
É ter coroa sem ter império
É não saber o que eu já sei...
É viver sem ter mistério!
Maceió
Junho – 2007

AMALDIÇOEI-O!
De VaniaViana

Encontrei-o por um fio,
E em meu coração vivia o vazio...
Achei-o! Era um homem arredio,
Embrulhado num suéter, sentia frio!
Desejei-o! Foi intenso o desvario!
Senti o meu corpo em arrepio...
Mas ele desprezou o meu colo esguio!
Perdi-o... Perdi-o pelo mesmo fio!
Fez-se um sofrimento vadio
Esse meu amor doentio...
*E eu, que tenho sido vil,
literalmente vil...
Amaldiçoei-o!

* De Fernando Pessoa

Maceió
10.08.2007

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

DE: KALIL GIBRAN

Quando o AMOR vos chamar, segui-o,
Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados;
E quando ele vos envolver com suas asas, cedei-lhe,
Embora a espada oculta em sua plumagem possa ferir-vos;
E quando ele vos falar, acreditai nele,
Embora sua voz possa desperdiçar nossos sonhos como o vento devasta o jardim.
Pois, da mesma forma que o amor vos coroa, assim ele vos crucifica. E da mesma forma que ele contribui para o vosso crescimento, trabalha para a vossa poda.
E da mesma maneira que ele sobe à vossa altura e acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol, assim também desce até vossas raízes e as sacode nos seu apego à terra.
Como feixes de trigo, ele vos aperta ao seu coração.
Ele vos debulha para expor a vossa nudez.
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas.
Ele vos mói até a extrema brancura.
Ele vos amassa até que vos torneis maleáveis.
Então, ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma no pão místico do banquete divino.
Todas essas coisas o amor operará em vós para que conheçais o segredo de vossos corações e, com esse conhecimento, vos convertais no pão...
Todavia, se no vosso temor, procurardes somente a paz no amor e o gozo do amor,
Então seria melhor para vós que cobrísseis vossa nudez e abandonásseis a eira do amor, para entrar no mundo sem estações, onde rireis, mas não todos os vossos risos, e chorareis, mas não todas as vossas lágrimas.
O amor nada dá senão de si próprio e nada recebe senão de si próprio.
O amor não possui e não se deixa possuir. Pois o amor basta-se a si mesmo,
Quando um de vós ama, que não diga: “Deus está no meu coração”, mas diga antes: “Eu estou no coração de Deus”.
E não imagineis que possais dirigir o curso do amor, pois o amor, se vos achar dignos, determinará ele próprio o vosso curso.
O amor não tem outro desejo, senão o de atingir a sua própria plenitude.
Se, contudo, amardes e precisardes ter desejos, sejam estes os vossos desejos:
“De vos diluirdes no amor e serdes como um riacho que canta a sua melodia para a noite;
De conhecerdes a dor de sentir ternura demasiada;
De ficardes feridos por vossa compreensão do amor;
E de sangrardes de boa vontade com alegria;
De acordardes na aurora com o coração alado e agradecerdes por um novo dia de amor.
De voltardes para casa à noite com gratidão;
E de adormecerdes com uma prece no coração para o bem amado, e nos lábios uma canção de bem-aventurança.

domingo, 8 de fevereiro de 2009


O Sonhar Das Letras

Enlouqueço em meu desejo insano...
Vou dormir contando mil letrinhas
Busco tuas rimas, em rimas minhas,
Adormeço em teu abraço meu sono!

Eu que contava um dormir sereno
Revirei-me na noite em meus “exatos”
Já não controlo nem governo meus atos,
Mesmo aquele que me parece pequeno!

Eu que pensei dormir minutos seguidos
Sem perder do sono segundos sequer,
Embalo no berço sonhos adormecidos!

Assim passo a noite enrolando a razão:
Consciência muda num canto qualquer...
Devaneio beijando a tua boca, então!

VaniaVianna – 25.01.2009

O AMOR É UM SONHO!


LIBERO VOCÊ!


MEU MAR É O TEU PORTO

(Minha primeira parceria com Amaro Vaz)

Seu mar é rio que eu não conheço
É solidão que eu não sei navegar
É lágrima que eu não posso mais chorar
É beijo de amor que eu não mereço.

Meu mar é rio silencioso, teu endereço,
Meu parceiro, teu barco a me navegar
É lenço pra lágrima que teima em rolar
Meu mar é beijo de amor que te ofereço.

Que mar é esse que eu não percebia
Me dando a mão, me dando a garantia
De um mergulho em tão suave corpo?

Esse mar estava ali em maré mansa...
Já foi jovem, foi uma inquieta criança
Hoje, maduro, dorme em teu porto!

De: Amaro Vaz & Vania Vianna - Fevereiro de 2009

TEM GENTE COM FOME..

TEM GENTE COM PRESSA...

TEM GENTE SEM DEUS...


O serviço de metereologia previa uma tempestade, mas apareceu um sol belíssimo de verão com o frescor do outono. Surgiu o colorido da primavera com a alegria dos pássaros, num quase início de inverno. Tudo ornado em aromas, sons e luz.

Exagero em ver tudo isso? Não! Muitos, mesmo sem ter nenhuma pressa, não conseguem ver ou sentir. Seus olhos se desviam do belo e, alguns mais atordoados pelas urgências, sofrem um processo se encegamento seletivo no desejo do TER.
Por mais que eu corra, ainda tenho o privilégio de ver e escutar tudo isso acontecendo ao meu redor, ao abrir cedinho a janela. A natureza me hipnotiza desde criança e, por isso, percebo as quatro estações de uma só vez num só dia .
O rei Davi via, talvez, melhor que eu, ao pastorear suas ovelhas nos campos quando falou que “Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das Suas mãos! Um dia, faz declaração a outro dia... Não há falas nem palavras; não se lhes ouve a sua voz”. Ele podia perceber porque, simplesmente, não sentia pressa e, embevecido, tinha o desejo de adorar ao Criador daquilo que ele observava.
Quanta interação nesse despertar! Davi viu o Deus que “estende a Sua linha e as Suas palavras até os confins do mundo” e observou que, para cada dia, Deus “pôs uma tenda para o sol, e nada se esconde ao seu calor”. Sal. 19
Hoje somos arremessados brutalmente ao Ter. Ter que ir, ter que fazer, ter que comprar...Ter que ter! Tem gente com fome, tem gente com pressa, tem gente sem Deus.

Temos a imposição da vida nos arrancando dessa interação, desse nirvana entre a natureza e o Criador. E o apito da máquina apressada da vida nos manda calar: Psiuuuuu... Não escutem a Deus!
O dia começa com o sino do vendedor de gás num toque barulhento! Com a buzina do vendedor de pão! Com um bife batido na vizinha antes de sair para o trabalho; ela irá arrastar seu pesado portão de ferro e sair de carro, atrasada para o trabalho. É o seu ritual diário!
Lembro-me de uma música do grupo J. Quest que fala assim: “Hoje, só tua presença, vai me deixar feliz, só hoje”, dirigindo-se à sua amada. Desejo falar isso pra Deus! Juntar-me a Ele e estar em Sua presença; ser feliz sentindo o sol em minha pele e interagir com Ele. Sem pressa nenhuma!

Hoje, como Davi, posso entender que a lei do Senhor é perfeita e refrigera a alma. Que os dias, como obras de Suas mãos, “são mais desejáveis do que ouro fino” e, medito agradecida por ainda receber toda essa graça, inspirada em Sua presença em minha vida, e em Sua criação.
Que hoje você consiga ver a Deus em sua vida também... Sem pressa! e nós próximos dias também!

Vania Vianna – 03-04-2008

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009


TROVÃO

Lá fora está chovendo. Ontem fez um calor muito grande pelo dia e na madrugada de hoje. Era prenúncio da chuva de janeiro que chegou em fevereiro. Era anúncio de trovoada que é pra mim pura alegria.

Penso no que a chuva traz para as plantas, ao sertão ressequido, ao povo já combalido do sofrer a seca. Garantia de colheitas!
Estavam faltando chegar os relâmpagos e os trovões, mais nada... E eles chegaram ao ponto de fazer tremer a minha janela! Mas eu gosto desse clima. Pingos da chuva, plantas tremendo, cheiro da terra... Gotas de orvalho luzindo o que me faz lembrar certo soneto.
E quando o trovão chegou eu estava dormindo e, me encolhi gostosamente debaixo do lençol, pois não temo trovões.Trovão é *FESTA NO CÉU, assim me ensinou a minha mãe! Ele explode e se aquieta pra depois se fazer silêncio em homenagem ao próximo relâmpago, pré gozo de paz e de harmonia da natureza!
E o silêncio pós trovão é como que aguardando um sinal
; ele quer o instante, o momento esperado para a entrada nos portais do paraíso... Silêncio, alvorecer calmo e espreguiçado, cantos de passarinhos em cima das árvores, nos jardins, chamando o parceiro para brindar juntos o clarear o dia, assim que a chuva dá uma trégua.
Eu intuo esse novo dia, a sua entrada, seu contato com a minha pele, seu cheiro... Nas plantas, no ar, em mim, em todos os meus sentidos e sinto todos os odores e sabores que me fazem tão bem.
Parece-me que o mundo está em paz, mas não é bem assim. Quando saio de carro, ao dobrar a Avenida Fernandes Lima e vejo um imenso engarrafamento, percebo o sinal da insatisfação da insatisfação humana, mas ainda estou e fico em paz.

Pra mim é dia de festa, dia de luz, dia de sonhar e de esperar que o meu amado chegue e traga para mim seu delicioso aperto de mãos e de seus braços envolvidos em minha cintura me aconchegando bem junto a si. E depois ... E depois que Deus nos abençoe!
Vania Vianna - Maceió - 03.02.09

APRENDI CONTIGO

Aprendi a te esperar sem expectativas!
Foi um difícil e doloroso aprendizado...
Nada mais há pra fazer, mas me motivas
A esperar que o céu o tenha me enviado!

Aprendi a viver sem o amor, mas amando!
Custei demais a viver este discernimento!
Aprendi em duras penas e assim entregando
Ao inefável da vida, meus impedimentos...

Aprendi a viver só o meu sonho solitário
Porque me vi sozinha no desejo embriagada
E fiz dele meu presente, meu relicário!

Aprendi com você que a fantasia da canção
Traz pra mim o engano de ser amada
E me conformei em tê-lo apenas no coração!

VaniaVianna – 26.12.2008

domingo, 1 de fevereiro de 2009

SOU DIFERENTE COMO O POR DO SOL!



Ainda que o sol se ponha
Que a brisa paire amena
Mesmo que eu seja pequena
Há algo em mim que sonha...
Os raios de sol que descem
São os mesmos que me aquecem
E todos são tão diferentes!
São eles que me amornam o peito
Dizendo que não há mais jeito:
Nunca serás para mim indiferente!

Por de sol ou nascer do dia
Ambos tão belos e idênticos
Em doce e suave alquimia...
E eu sei que em todo raio
Vem um Poder do alto – um ensaio,
Que me faz lembrar um amor distante...
Penso que tudo ainda é como antes
Que sou alguém que muito te quer
E para ti sou bem demais diferente
Do que qualquer outra mulher!

Vania Vianna – BH– 10.08.2007

MUDEI POR QUÊ AMO

Mudei a tristeza pra dar versos ao riso
Mudei a saudade pra dar luz à presença
E viver é mudar, eu tenho essa crença
E mudar é o verbo, é o que mais preciso!

Mudei o olhar pra ver coisas mais belas
Que mudar é seguro ao poeta e à canção
Se se enxerga nas dores as cores mais belas
Foi o olhar dos amores no olhar da paixão!

Mudei o momento pra ser forte, eu quis!
Mudei e venci a dor mais desvairada
Mudei meu enredo pra poder ser feliz!

Mudei minha mesa, meu armário, a cama...
Mudei a janela em uma porta arejada...
Mudei porque sei que é assim que se ama!



Vania Vianna – Maceió – 25.09.08

...DEI DE ACORDAR DE MADRUGADA !


Dei de acordar de madrugada...
Sonho na ponta da língua pra contar
Sensação de uma vida n’outro lugar...
Por um momento, por um desejo, fui encantada!


Dei de acordar de madrugada...
Vontade imensa de ficar, de permanecer.
Nenhuma falta, lugar propício para viver...
Por um momento, por um desejo, fui encantada!


Dei de acordar de madrugada...
Revivi uma história passada há tantos anos!
Numa só noite passei por mil enganos:
Por um momento, por um desejo, fui encantada!


Dei de acordar de madrugada...
No sonho lembrado, quis voltar a dormir!
Viver o mesmo enredo, sonhar, repetir...
Por um momento, por um desejo, fui encantada!


Dei de acordar de madrugada...
Relembrei caminhos já percorridos.
Caminhos trilhados, horizontes vencidos...
Por um momento, por um desejo, fui encantada!


Dei de acordar de madrugada...
Troquei os versos, vivi o hoje sendo menina.
Ai! Que saudade! Como foi bom ser pequenina!
Por um momento, por um desejo, vi-me encantada!


Dei de acordar de madrugada...
Coração quente, fôlego ofegante, puro prazer...
Quem não quer viver um doce querer?
Por um momento, por um desejo, me entreguei encantada!


Dei de acordar de madrugada...
Os pássaros ali não cantam, e cantam grilos!
E aquele sonho? Como pude sonhar aquilo?
Por um momento, por um desejo, estive encantada!


Não! Não durmo mais na madrugada...
Espero o sonho chegar pela janela!
Vou ver no espelho minha expressão mais bela!
E ser, por um momento, o teu desejo... Mesmo enganada!


Vania Vianna – BH – 01.08.2007